sexta-feira, 9 de maio de 2008

Yisrael 60 anos

video

Desde o pacto com Avraham, Deus deu a terra de Israel para o povo judeu. Ele também prometeu a terra a Yitzchak e Iaakov (que mudou seu nome para Israel). Logo depois das dez pragas do Egito, o Faraó liberta o povo hebreu, que vai em direção a Canaã (onde hoje fica Israel), a terra do leite e do mel. O povo de Israel vive nestas terras durante as guerras no período dos Reis (Shaul, David e Salomão) até a destruição do Primeiro Templo, quando o povo é obrigado a sair de Jerusalém. Depois, o povo volta e é obrigado a sair de novo, com a destruição do Segundo Templo. Desde então, os judeus vivem espalhados em outros países do mundo, por dois mil anos.


Com a idéia de querer voltar para a terra prometida por Deus, os judeus do mundo todo se organizaram, chefiados por Theodor Herzl, numa reunião que acontecia todos os anos, chamada de Congresso Sionista. Lá, eles discutiam como fariam para voltar à terra de Israel e como seria este novo país, que agora era governado por outros povos. Então, Herzl escreve um livro, pensando em como seria esse país: pensa na bandeira,

na língua que se iria falar, nas leis, o exército e as outras coisas que um país precisa. A Inglaterra então, sugeriu que se fosse criado este país de judeus na África, mas os judeus não quiseram.

Enquanto pensavam em como seria este novo país, alguns judeus do mundo começaram a viajar para o local onde hoje é Israel, para morar lá. Isso se chama fazer Aliá. Nesta época, a terra de Israel pertencia à Inglaterra e, em 1917, um ministro inglês fez uma declaração, dizendo que a Inglaterra aceitava que se criasse um país de judeus naquele lugar.

Essa declaração foi conhecida como a Declaração Balfour.

Como o número de judeus que estava chegando nesta terra (que pertencia a Inglaterra) era muito grande, os ingleses não deixaram mais que os judeus viajassem pra Israel pra morar lá, fechando as fronteiras. Mesmo assim, o povo judeu estava determinado a criar o seu país em Israel e continuaram viajando pra Israel, muitas vezes escondidos.
Em 1947, finalmente estes judeus conseguem a permissão dos outros países do mundo para criar o seu país na terra prometida por Deus. Então, um ano mais tarde, no dia 14 de maio de 1948, é declarada a independência de Israel, por David Ben Gurion, que foi o primeiro a ser primeiro ministro de Israel (equivalente ao presidente do Brasil).

Neste mesmo dia, alguns países árabes entraram em guerra contra Israel e Israel ganhou, o que se chamou de guerra de independência.
A bandeira escolhida para este novo país era branca, com duas faixas azuis (assim como o talit) e com uma estrela de David no centro. O hino escolhido para este país foi o Hatikva (esperança em hebraico) que representava toda a esperança que o povo judeu teve nesses dois mil anos, aguardando a volta para a terra que Deus prometeu pra nós. E a língua escolhida foi o hebraico, porque é a língua da Torá e também a língua universal dos judeus.

Neste novo país, todos os judeus do mundo que quisessem poderiam vir morar. Então, foi criada uma lei, chamada a Lei do Retorno, que garantia todos os direitos de cidadão (poder votar, trabalhar, estudar, receber segurança, educação, saúde e essas coisas).

Nenhum comentário: